Quem sou eu

Minha foto
Cariacica, Espírito Santo, Brazil
Um rapaz que acredita que nunca se é velho demais para ser um Treinador Pokémon.

Postagens populares

Tecnologia do Blogger.

Follow by Email

Pesquisar aqui

Ash aos 20
Ash Ketchum, o Treinador de 10 anos vindo da Cidade de Pallet, deseja ser um Mestre Pokémon ao lado de seu parceiro Pikachu. Nos últimos 20 anos, esse objetivo tão propositalmente vago norteou a personalidade do protagonista de Pokémon, servindo para definir tanto suas qualidades como seus defeitos. Durante o começo da fase Diamond & Pearl, o anime celebrava sua primeira década de vida e não parece ser coincidência que esta é uma série que não só nos mostrou a versão mais madura de Ash até então como ainda fazia questão de celebrar o legado do anime como um todo, trazendo várias homenagens às séries que precederam-na.
Quando eu soube que Pokémon teria um episódio celebrar os 20 anos do anime (comemorados no último abril), me parecia uma escolha equivocadíssima o caminho da simplicidade que ele aparentava possuir. Um episódio estrelado somente por Ash e Pikachu somente? Sem participações especiais? Sem um grande evento? Sem referências ao passado? Era o mesmo que cagar em todo o legado que a série havia acumulado ao longo desses 20 anos e essa é uma atitude que vem me incomodando desde Best Wishes! Porém, quando cheguei ao vigésimo episódio de Sun & Moon, eu já havia coroado na minha cabeça este Ash de Alola a minha encarnação favorita do personagem.
"A Promessa entre Ash e Pikachu" é um episódio simples, é verdade, mas que realça de forma lindíssima aquilo que está no cerne deste anime desde o princípio: a amizade que o garoto compartilha com seu Pokémon amarelo e seu amor pelos Pokémon. É de forma bastante natural que Aya Matsui conduz a trama para que os dois acabem sozinhos numa ilha paradisíaca. Ali, vemos o garoto com sua habitual empolgação e eterno maravilhamento com os Pokémon que encontra e sua determinação e grande compaixão ao fazer de tudo para salvar um Wimpod desgarrado de seu bando. É lindo vê-lo admirando o mar quando se vê cercado por água. É divertido vê-lo seguindo os Exeggutor de Alola, imitando seu jeito de falar. É de encher o coração vê-lo tão feliz com sua jornada até aqui nesta região que o faz gritar, a plenos pulmões, que a ama.
Amor. Este pequeno sentimento humano é o que tem mais me cativado nesses episódios de Sun & Moon. Por muitos anos, a jornada de Ash para ser um Mestre Pokémon dominou sua mente de uma forma que nunca vimos o personagem se envolver de forma muito emocional com coisas que fugissem desse escopo. Tirando as emocionantes despedidas de Pokémon queridos ou a derrota na Liga Índigo, raramente o vimos agir de forma muito passional ou se deixar levar pelas emoções, salvo raras exceções. Até mesmo em sua rivalidade contra Paul, o Treinador assumia uma postura absurdamente passiva diante da postura mais agressiva do rival, sem contar a frieza que orientava até suas relações para com seus amigos de viagem. O Ash de Sun & Moon é intenso. Ele é vivo. Ele ama seus amigos. Ele ama sua jornada. Ele se diverte. Ele se esforça. Pela primeira vez, o Ash parece uma criança de verdade e eu tô adorando isso!

Mais uma e CLAMP!
No texto anterior, eu comentei como os primeiros 15 episódios desta saga foram todos escritos pela trindade Matsui-Tomioka-Omode e levantei a questão sobre o paradeiro dos demais roteiristas veteranos da série. Enquanto nenhum deles retornou nessa leva, o SM018 veio nos apresentou alguém novo: Ayumi Sekine. Outra adição do sexo feminino à equipe criativa de Pokémon, talvez o trabalho mais conhecido de Sekine no ocidente seja o especial Fate/Grand Order: First Order, mas ela tem um currículo que conta com muitas animações de comédia estreladas por personagens femininas, tais como Asobi ni Ikuyo!, Uta no Prince-sama - Maji Love Revolutions e Flip Flappers, além do drama e terror psicológico Tasogare Otome×Amnesia. Curiosamente, um dos seus trabalhos mais conhecidos é a comédia Baka to Test Shokanju, na qual os competitivos alunos de uma escola se enfrentam através de um avançado sistema de batalhas que envolve invocar personagens que possuem o desempenho escolar equivalente ao do seu invocador.
Assim sendo, faz sentido que Sekine tenha sido convidada a ser parte do time de escritores de Sun & Moon, considerando o trio de protagonistas femininas que temos desta vez. Não é nada coincidência que sua estreia na série seja justamente num episódio focado em uma dessas meninas: Lulú! É até surpreendente que eles tenham levado 18 episódios para fazerem um episódio focado inteiramente naquela que é a líder da turma de Ash na Escola Pokémon. Como os capítulos estrelando os demais personagens, somos apresentados a alguns membros da família da cozinheira (assim como sua contraparte nos jogos, ela trabalha no restaurante com seu pai e tem um irmão mais velho) e descobrimos o seu sonho de criar um prato que seja emblemático para o seu restaurante - o que confirma que, assim como Vitória e Chris, seu foco não está nas batalhas.
Usando de leveza e humor, Sekine consegue entregar um episódio ao estilo bem clássico de Pokémon, com Ash e Lulú embarcando na jornada para encontrar o raro Néctar Amarelo e até enfrentando a Equipe Rocket no final. A roteirista também demonstra integração com os demais ao não apenas incluir uma cena da Equipe Rocket concluindo a construção da Base Secreta que eles iniciaram episódios antes, mas também também mostrando Rowlet fazendo uma rápida visita à sua família na tentativa de coletar informações sobre o Néctar Amarelo. Ela também adiciona um bem-vindo elemento garota mágica com a transformação do Oricorio Estilo Baile em Oricorio Estilo Pom-Pom e depois com a evolução de Bounsweet em Steenee.

Avaliações individuais:
SM016/ Episódio 960 - Um Pequenino Trio numa Grande Aventura!
Roteiro: Atsuhiro Tomioka
Direção de Animação: Isao Namba e Tadaaki Miyata
Não lembro de ter dito isto nos últimos anos, mas quem me conhece sabe que eu AMO episódios focados nos Pokémon desde "A Ilha dos Pokémon Gigantes", principalmente se ele envolve interações entre os Iniciais das regiões - e até hoje não perdoo Diamond & Pearl por não nos ter dado um momento de interação para Chimchar, Turtwig e Piplup. O motivo para a separação de Rowlet e Popplio dos demais é tão absurda quanto adequada para a história e serve para fazer justiça à pequena foquinha. Por pertencer à Vitória, ela acaba ficando ofuscada na maioria dos episódios, mas Tomioka é competentíssimo em dar espaço para que ela brilhe aqui. Porém, quem rouba a cena mesmo é Litten. O heroico felino das ruas faz um retorno triunfal ao salvar a dupla de desafortunados e ainda ser enviado pelo Stoutland ancião na missão de ajudá-los a reencontrar seus legítimos Treinadores. Do ponto de vista artístico, é ótima a escolha de refletir os sentimentos dos Pokémon por balões que expressam suas ideias e planos de forma divertida e só acrescentou ao humor certeiro do episódio.
Litten também se prova bem traiçoeiro ao enganar a Equipe Rocket, primeiro comovendo os Pokémon dos vilões e depois fingindo se sacrificar pelo grupo! Aliás, adoro como as atitudes do pequeno felino e Rockruff refletem bem mesmo os clichês de personalidades de gato e cachorro do mundo real. É lindinho de ver!
Nota: 5/5


SM017/ Episódio 961 - O Rotom Detetive de Alola! O Mistério do Cristal Perdido!!
Roteiro: Aya Matsui
Direção de Animação: Yuki Naoi e Kunihiko Natsume
Quando eu soube que a nova Pokédex era possuída por um Rotom, era exatamente esse o tipo de insanidade que eu esperava! Ver máquinas tentando entender e assimilar o comportamento humano é já um clássico artifício para gerar humor em ficção, e é divertidíssimo ver a Pokédex Rotom sendo fã de uma série de detetive e se empolgando ao ponto de agir como um verdadeiro fanboy imitando a obra admirada (afinal, Corrida Naruto tá aí né, galera). De fato, todo o episódio é permeado de um ótimo humor, que se estende ao medo generalizado de toda classe da reação de Kiawe quando descobrir que Ash perdeu seu Elétrium Z à resolução do mistério, que prova que como detetive, Rotom é uma ótima Pokédex!
As cenas da fúria de Kiawe são HILÁRIAS e que delícia é ver Lílian refutando completamente a teoria furada de Rotom.
Nota: 5/5

SM018/ Episódio 962 - É Sério!? A Operação Culinária de Lulú!!
Roteiro: Ayumi Sekine
Direção de Animação: Takashi Shinohara
Pokémon sempre teve personagens que eram dotados de talentos culinários, porém Lulú não é qualquer cozinheira. Ela é profissional e, como tal, ela faz experimentos com novas receitas. A ideia de substituir o efeito do Néctar Amarelo pelo Relâmpago de Pikachu foi boa, especialmente pelas reações geradas - adoro que Chris ama a receita experimental apesar do efeito de choque gerado. É também maravilhoso ver a pequena Bounsweet ignorada pela Equipe Rocket - fiquei chocado que nem Jessie se cativou pela frutinha - mostrar sua força linda e maravilhosa ao evoluir. Steenee é uma diva garota mágica em ascensão e que delícia ver Meowth levando aqueles Tapas Duplos deliciosos na fuça!
Nota: 3,5/5

SM019/ Episódio 963 - O Intenso Treinamento de Choque Elétrico! Uma Revanche com Tapu Koko!!
Roteiro: Akemi Omode
Direção de Animação: Yuichiro Fujimoto, Aito Ohashi e Hiroyuki Horiuchi
A atmosfera casual de Alola é uma delícia, mas é igualmente gostoso ver Ash mostrando que sua rotina de treinamento está firme e forte! A ideia de uma revanche contra Tapu Koko e o objetivo de dominar os Movimentos Z são uma boa estratégia pra dar ao garoto uma motivação ao menos temporária pra treinar, já que não temos mais os Ginásios ou um rival para impulsionar isso - ao menos não no momento (e nem acho que devamos ficar muito tempo sem). A batalha que abre o episódio, entre Mudbray e Rockruff, é uma situação que eu gostaria de ver mais vezes. Afinal, se existem outros alunos na escola, nada mais normal que muitos deles também sejam Treinadores focados em batalhas e interajam com a turma que de Ash. Seria nada mal se em algum momento no futuro houvesse até uma competição escolar de batalhas - e nem precisa ser tantas repetitivas e inúteis como em Best Wishes!, apenas o suficiente para encher bem o Guia de Batalhas.
É legal ver que, apesar de Chris não ser um Capitão do tipo Elétrico no anime, ele é capaz de manter os vínculos com sua especialidade e ainda oferecer estratégias para Ash enfrentar o deus guardião de Melemele.
Outra coisa bacana é a forma como não é apenas a força dos Pokémon de Ash precisa ser aumentada, mas a do próprio Treinador também. A solução encontrada pelo pequeno inventor para trabalhar o lado físico do Treinador - afinal teoria nunca foi o forte dele mesmo - é ótima para fazer todos se esforçarem. Embora não traga respostas sobre o interesse Tapu Koko no Palletiano, ver a determinação de Ash e Pikachu impulsionando-os a ir além que os demais, fazendo seu Cristal Z reagir de forma intensa é, no mínimo, curioso. Um detalhe bacana também é Rockruff reconhecendo os limites de sua própria força e a de Rowlet, fazendo-o se retirar do treinamento levando a corujinha consigo. Já a batalha em si parece se tratar mais de um teste que um desafio real e, apesar de o Treinador de Pallet e seu parceiro Elétrico ainda não serem capazes de vencer a divindade de Alola, ver ambos sendo salvos pelo guardião nos revela também o lado compassivo desse misterioso Pokémon. 
Todavia, um incômodo que eu sempre tenho com o anime e se repete aqui é essa mania de apresentar ideias que não funcionariam nem mesmo nas lógicas do anime como soluções reais: Pikachu é apontado como a melhor escolha contra Tapu Koko porque a habilidade do Tapu, Onda Elétrica, cria um Terreno Elétrico, o que aumentaria a força dos movimentos Elétricos de Pikachu. O problema é que, sendo um Pokémon Elétrico, o Tapu também se beneficiaria de sua própria habilidade, além do fato de ser resistente a ataques Elétricos. A verdadeira razão de Pikachu ser a escolha mais viável é que os demais Pokémon de Ash ainda são fracos demais para enfrentar o Tapu e o próprio queria batalhar o Pokémon Rato, logo toda essa explicação para a escolha de Pikachu se prova completamente desnecessária.
Nota: 4,5/5

SM020/ Episódio 964 - A Promessa entre Ash e Pikachu!
Roteiro: Aya Matsui.
Direção de Animação: Shuhei Yasuda e Osamu Murata
A aventura solo de Ash e Pikachu na Ilha do Tesouro é um episódio simples, mas que celebra com beleza, humor e sutileza a amizade entre o Treinador e seu Pokémon. Porém, é uma pena que um texto tão lindo não venha acompanhado de uma animação à altura.
Nota: 4,5/5



Considerações finais:
  • Vamos às audiências dos episódios deste charithoughts:
Número do Episódio Sun & Moon
Título do Episódio
Audiência
Colocação semanal
016
“Um Pequenino Trio numa Grande Aventura”
3,7
10º
017
“O Rotom Detetive de Alola! O Mistério do Cristal Perdido!!”
3,6
018
“É Sério?! A Operação Culinária de Lulú!!”
3,7
10º
019
“O Intenso Treinamento de Choque Elétrico! Uma Revanche com Tapu Koko!!”
4,4
020
“A Promessa entre Ash e Pikachu!”
4,2
  • Depois de várias semanas estável, Sun & Moon sofreu uma elevada súbita de audiência que se sustentou ainda quinze dias depois. É provável que o evento envolvendo Tapu Koko e a celebração dos 20 anos do anime - o SM020 foi exibido junto do SM021 no Japão - tenham ajudado a impulsionar os números, ainda assim é um crescimento impressionante! Para comparação, 4,4 foi a mesma pontuação que esta série obteve na estreia e na ocasião o anime ainda havia sido o nono programa mais assistido aquela semana, agora foi o quinto duas vezes e o sétimo em uma ocasião. Estou intrigado pra ver se esse crescimento se sustentará pelas semanas seguintes. Será que Sun & Moon está resgatando fãs para o anime? Eu de verdade não me surpreenderia!
  • Levei um pequeno susto com a voz do Narrador surgindo no meio do SM016 para recapitular a história de Litten e Stoutland. Confesso que até achei um pouco desnecessário, já que não era algo que exigisse muito raciocínio de se concluir sozinho, mas imagino que eles optaram por uma linguagem mais acessível para o público-alvo;

  • Que linda a cena do confronto entre Meowth e Litten! Gostei tanto que virou minha capa do Facebook. Até me lembrou o momento da minha jornada em que meu pequeno Litten de Pokémon Sun saiu de sua Pokébola para cumprimentar o Meowth de minha mãe quando eu comecei minha jornada;
 

  • Que maldito Rowlet fazendo Popplio se desesperar com a possibilidade de levar a culpa pelo sumiço dos dois e adoro ainda mais a foquinha ter que ensinar o básico sobre resgate aéreo pra foquinha desajustada;

  

  • É genial como Tomioka arruma uma forma de impedir Rowlet de voar e acabar com o episódio rapidamente, é lindo ver Popplio usando sua bolha pra carregar a corujinha e adoro ver a dificuldade dos Pokémon de removerem a argola do corpo de Rowlet simplesmente por não possuírem dedos;
 

  • Popplio demonstrou bastante admiração por Litten, não é mesmo?

  • A troca de olhares entre Litten e Ash ao final do SM016 é tão cheia de significado…


  • O quão bonitinho é os animadores tentando fazer parecer que Rowlet e os demais Pokémon pássaros são apaixonadinhos pelo odor da Bounsweet, quando a Pokédex dos jogos deixa claro que é justamente esse cheirinho que faz com que as Pokémon Frutas sejam engolidas numa bicada só por Toucannon? Dito isso, acho genial a estratégia que eles usam para impedir que o Orocorio saísse da vista deles, mas deu dó - e um pouco de agonia - ver Bounsweet toda murcha;

  • Brock e Cilan se sentiriam envergonhados se vissem as rações servidas por Lulú aos Pokémon;
 

  • A trilha sonora do SM017 foi simplesmente perfeita! A mixagem da música do Looker dos jogos nos momentos detetivescos da Pokédex Rotom ficou ótimo e ainda tivemos uma mixagem de uma clássica BGM da série original que a gente não ouve no anime faz anos tocando no SM018;

  • Apesar de os roteiristas decidirem que Ash fica em Melemele, isso não os tem impedido de criar novos lugares dentro das ilhas. Ainda assim, o Prado de Melemele foi mantido como o local aonde o Néctar Amarelo pode ser encontrado em qualquer estação. Aliás, a menção ao fato de os néctares serem sazonais me fez lamentar que as estações do ano estejam esquecidas no churrasco desde Pokémon Black 2 & White 2;
  • Eu acho que a mudança da Equipe Rocket em relação ao seu interesse pela Steenee merecia virar meme daqueles "Se não me quis assim, não me procure quando eu estiver assim;
  • Falando em Steenee, amei forte a animação de sua Folha Mágica;
 

  • A divulgação do Nintendo 3DS continua pesadíssima;
 

  • Tadinho do Rockruff, não consegue fazer a coreografia do Movimento Z direito :'(
  • Eu estava pensando outro dia qual seria o destino de Rotom depois que a jornada de Ash em Alola acabar. Depois de ver a afinidade que se desenvolve entre Chris e o Pokémon Plasma, acho que o jovem inventor talvez seja a resposta;
  • Alguém sabe se as estatísticas da Pokédex Rotom têm fundamento em dados reais?
  • Vocês também pensaram por um momento que Ash ia pegar aquele Wimpod?

  • A atuação de Rica Matsumoto em Sun & Moon está tão forte, tão cheia de vida que até parece dar pra sentir a paixão dela em dublar esta nova saga;

0 comentários: