Quem sou eu

Minha foto
Cariacica, Espírito Santo, Brazil
Um rapaz que acredita que nunca se é velho demais para ser um Treinador Pokémon.

Postagens populares

Tecnologia do Blogger.

Follow by Email

Pesquisar aqui

XY048/ Episódio 852 – O Campus de Lembranças de Clemont! Uma Reunião Eletrizante!! 


Eu sempre gostei muito de animais. Eu era uma daquelas crianças que fazia carinho nos cachorros de rua e quando aparecia um gatinho faminto e minha mãe não deixava eu levar ele pra casa – porque a gente já tinha animais de estimação demais – eu pega comida de casa e levava pra ele só pra ele ter alguma coisinha pra mordiscar e ficar de barriguinha cheia. Meu sonho de infância era ter uma casa bem grande onde eu pudesse abrigar todos os bichinhos de rua que encontrava – e em escala bem menor, eu ainda tenho essa vontade sempre que encontro algum animalzinho abandonado. Não é à toa que Pokémon me conquistou. O primeiro que realmente me atraiu para o anime foi “A Poké-Corrida”, cheio de criaturas que lembravam muito animais e pessoas que se relacionavam com eles de forma muito especial. Tinha um cachorrinho fofo que soltava fogo e um cavalinho lindo que virava um unicórnio mais lindo ainda e também soltava fogo. E a dona deles era uma moça adorável que quebra o braço, então o protagonista tinha que montar o cavalinho de fogo e fazer amizade com ele. Também tinha a histórias de abandono de Bulbasaur, Charmander e Squirtle. Como não amar?
Pokémon: Black & White #2

Dentro da margem de erro dos atrasos típicos dos lançamentos da Panini, o segundo volume do mangá Pokémon: Black & White chegou às bancas brasileiras no começo do mês – oficialmente no último dia 15 – e novamente corri para as bancas para achar minha querida edição. Mesmo com uma leitura um pouco atrapalhada por umas páginas com a impressão meio borrada, eu posso dizer que adorei demais este segundo volume. Como diz Satoshi Yamamoto, o responsável pela arte de Pokémon Special, em seu breve editorial, é aqui que a história realmente começa: temos a introdução de novos personagens-chave desta fase, a apresentação da Equipe Plasma e sua premissa de liberação dos Pokémon, o reencontro de Black, Cheren e Bianca e a primeira batalha de Ginásio em Unova entre outras coisas! São diversos acontecimentos dos jogos muitíssimos bem retratados e que tornam os sete capítulos que compõem esta coletânea bastante movimentados e interessantes, especialmente com as chegadas de White e N, dois personagens que certamente agitam bastante as coisas!
XY047/ Episódio 851 – Serena Pega Seu Primeiro Pokémon!? Pancham VS Fennekin!!


Quem é essa menina? Quem é essa estranha estranhamente familiar? De onde ela veio com toda essa atitude e determinação? De que cartola mágica saiu com tanto charme e carisma? Quem é essa que se arrisca, que se interessa por Pokémon, que se lança contra um Pokémon para proteger um dos seus com seu próprio corpo? Qual é o nome dessa garota tão cheia de coragem? É fácil se perder em meio a tantas facetas de Serena expostas aqui. Verdade seja dita, metade dessas características nem são novas, mas haviam sido subjugadas por roteiros que só diminuíram a personagem ao longo das semanas. Mas isso acabou! Finalmente Serena foi tirada do escanteio, das risadinhas tímidas ao fundo e de sua irritante passividade. A mão que antes ficava tão presa ao corpo agora é estendida em direção ao sol. A protagonista mais problemática que Pokémon vinha tendo parece ter finalmente saído do casulo em que fora enfiada desde que se juntou ao grupo de Ash, Bonnie e Clemont! Esqueçam o episódio chatinho dos Rhyhorn, aquele sem graça do PokéVisão e aquele horroroso da competição de PokéPuff. Finalmente as sementes lançadas ao solo no Acampamento de Verão podem ser colhidas e Yokiyoshi Ohashi nos entrega aquele que é, com toda certeza, o melhor episódio estrelando Serena até aqui!

XY045/ Episódio 849 – Clemont VS Bonnie!? Uma Batalha de Irmãos com Meowstic!!
&
XY046/ Episódio 850 – O Wigglytuff Atrapalhado VS o Salamence Descontrolado!!

Sejamos francos: metade de vocês não quer ler charithoughts sobre esses dois episódios bastante desinteressantes de Pokémon XY. Tem capturas vindo aí, evoluções, Tripokalon e você talvez queira saber o que eu acho de todas essas coisas, mas porque eu sei que existe uma parcela de vocês que tem interesse em saber o que eu achei de capa episódio e porque pessoalmente eu possuo algum TOC que não me permitiria simplesmente pular dois episódios do que pode vir a ser a cobertura de uma série inteira, aqui estou passando por esses dois episódios. Um deles me deixou tão interessado que eu levantei no meio e fui ler um encadernado do Batman que eu ganhava mais. Já o outro deu pra curtir um pouco mais, mas não foi muito melhor.
“Bom, quando decidi fazer este blog a minha ideia original nunca foi criar um espaço para ficar dando opinião sobre isso ou aquilo, mas apenas postar minhas matérias focando em fatos e eventos – embora eu dê sim minha pitada de opinião aqui e ali, mas nunca como parte essencial do que escrevo.” 
Dá pra acreditar que há quase um ano e meio essa era a minha postura oficial em relação a este blog? Os meus dizeres na introdução de Best Wishes!, Eu Odeio Você! – Parte 1 acabaram sendo totalmente invertidos com o tempo e hoje, dar minha opinião é de longe minha tarefa mais comum neste blog. E se vocês curtiram tanto o ódio, quem ganhou este ano foi o amor! Atendendo a pedidos, hoje é dia de falar sobre minha paixão por Diamond & Pearl, a minha série preferida do anime dos monstros de bolso! Então comecemos porque há muito território a cobrir.
DIAMOND & PEARL, EU ADORO VOCÊ!

Por que eu adoro Pokémon – Diamond & Pearl?

Essa é uma pergunta à qual venho tentando responder mentalmente desde que propus este tópico e várias razões vinham à minha cabeça. Afinal de contas, existem tantas coisas para se amar em Diamond & Pearl! A relação tão bacana entre o trio de protagonistas, especialmente Ash e Dawn, o time do Ash, com destaque para Chimchar e sua trajetória, os episódios com animação caprichada e estilizada entre vários outros experimentos realizados nesse sentido, as batalhas cheias de estratégia que também tinham um grande propósito para a trama principal, a introdução de personagens inesquecíveis como Paul, Cynthia, Barry e Looker, os diversos eventos criados para manter o interesse dos fãs, a Equipe Galáctica e a Caçadora J sendo os melhores vilões já criados para o anime, os desfechos emocionantes de todas as tramas principais. E, mais que tudo isso, o senso de continuidade. Pela primeira vez na história de Pokémon, os roteiristas pareciam ter memória e isso dava uma sensação de que cada episódio contava de forma especial, cada evento podia ser importante e o menor dos detalhes podia ser crucial para uma determinada situação. Porém, para falar disso é preciso retornar um pouquinho na história do anime.