Quem sou eu

Minha foto
Cariacica, Espírito Santo, Brazil
Um rapaz que acredita que nunca se é velho demais para ser um Treinador Pokémon.

Postagens populares

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Follow by Email

Pesquisar aqui

XY050/ Episódio 854 – Dance, Pancham; Encante o Público, Fennekin! Passos Rumo ao Amanhã!!

Desde que os roteiristas decidiram que Serena seria uma Performer Pokémon participando das Exibições Pokémon (ou Tripokalon, se preferirem), eles tem mostrado uma dedicação completamente nova em investir na personagem. Dos 38 primeiros episódios da série, apenas três foram focados na aspirante a Rainha de Kalos (o da Corrida Rhyhorn, o que ela faz PokéVisão pela primeira vez e o maldito dos doces) e nenhum deles será lembrado pela alta qualidade - exceto, é claro, pelo flashback de quando ela e Ash se conheceram em Kanto. Sua função na série então se resumia a responder às falas de seus colegas e suspirar pelo Ash aqui e acolá. Mas desde que a garota começou a questionar a falta de propósito de sua jornada no começo do arco do Acampamento de Verão, se passaram exatamente 12 episódios e desses, três colocam a menina como centro das atenções (contando aquele do PokéVisão do acampamento, claro). E isso não foi tudo. Em todos os episódios desde então a garota tem tido uma participação bem pró-ativa, seja lançando um Pokémon para ajudar a enfrentar a Equipe Rocket, ou escovando seus bichinhos ou praticando alguma apresentação fora de cena.

Pokémon XY Especial: A Mega Evolução Mais Forte ~2º Ato~
Steven Stone, o Campeão da região de Hoenn em Pokémon Ruby & Sapphire Versions, teve uma trajetória bastante triste no anime. Após ser mencionado por seu pai, o Sr. Stone, Steven fez uma aparição em "Um Buraco Cheio de Problemas" em que lhe foram tiradas suas roupas luxuosas, sua posição como Campeão nem é mencionada e ele aparece e vai embora como se fosse um personagem do dia qualquer. Nem mesmo uma batalha para exibir o seu poder ele teve! Se Lance havia ganhado participação considerável e fama na série original como Campeão de Johto e Kanto, a jornada de Ash por Hoenn passou sem que jamais alguém sequer mencionasse o nome de Steven outra vez. Sua moral estava tão baixa que nem sequer lhe deram uma oportunidade de ajudar na crise envolvendo Groudon e Kyogre causam caos, substituindo-o pelo divo Lance.

XY049/ Episódio 853 – Tropa de Defesa do Lapras, Mobilizar! Bonnie Faz o Seu Melhor!! 

Minha infância foi marcada por filmes de aventuras protagonizadas por crianças, em especial ET - O Extraterrestre. A ideia de conhecer um alienígena e fazer amizade com ele era algo que me fascinava e o longa-metragem de Spielberg ainda conseguia arrancar lágrimas dos meus olhinhos miúdos. De certo modo, há bastante coisa em comum entre o filme e este episódio de Pokémon XY. Há uma criatura separada de sua espécie, que é abrigada e tratada às escondidas por crianças, que depois precisam lutar para salvá-la das garras de adultos maus. Receita perfeita para um episódio de se amar, porém embora eu tenha achado este bastante divertido, ele realmente não é um dos mais memoráveis.

O Motivo de Masuda 

Fala, galera! Eu estou sumido, é verdade, mas este sumiço é totalmente justificado. Viagem para a Comic-Con Experience no começo do mês e o atual processo longo, lento e chato de fechamento de pautas na escola tem feito com que todo o tempo livre que eu encontro seja usado para jogar Pokémon Omega Ruby, que eu tenho em mãos desde o último dia 28, mas ainda não fui capaz de zerar, ou ler alguns dos gibizinhos que comprei na convenção. A experiência de jogar essa aventura repaginada na região de Hoenn tem me dado momentos de muito prazer, mas ao mesmo tempo me pego em frustrações de variados tamanhos. A maior dela talvez seja justamente aquela que deve ser a maior decepção entre 8 de cada 10 jogadores: a ausência da Battle Frontier. Como se já não bastasse o sentimento amargo de saber que, ao zerar, eu não terei uma ilha cheia de desafios interessantes me esperando para batalhar, em entrevista recente concedida ao site italiano Pokémon Millenium, Masuda explicou a decisão da Game Freak de não incluir a grande empreitada de Scott nos novos jogos. Caso vocês não tenham lido, segue o texto conforme traduzido pelo pessoal da Pokémon Mythology:

XY048/ Episódio 852 – O Campus de Lembranças de Clemont! Uma Reunião Eletrizante!! 


Eu sempre gostei muito de animais. Eu era uma daquelas crianças que fazia carinho nos cachorros de rua e quando aparecia um gatinho faminto e minha mãe não deixava eu levar ele pra casa – porque a gente já tinha animais de estimação demais – eu pega comida de casa e levava pra ele só pra ele ter alguma coisinha pra mordiscar e ficar de barriguinha cheia. Meu sonho de infância era ter uma casa bem grande onde eu pudesse abrigar todos os bichinhos de rua que encontrava – e em escala bem menor, eu ainda tenho essa vontade sempre que encontro algum animalzinho abandonado. Não é à toa que Pokémon me conquistou. O primeiro que realmente me atraiu para o anime foi “A Poké-Corrida”, cheio de criaturas que lembravam muito animais e pessoas que se relacionavam com eles de forma muito especial. Tinha um cachorrinho fofo que soltava fogo e um cavalinho lindo que virava um unicórnio mais lindo ainda e também soltava fogo. E a dona deles era uma moça adorável que quebra o braço, então o protagonista tinha que montar o cavalinho de fogo e fazer amizade com ele. Também tinha a histórias de abandono de Bulbasaur, Charmander e Squirtle. Como não amar?
Pokémon: Black & White #2

Dentro da margem de erro dos atrasos típicos dos lançamentos da Panini, o segundo volume do mangá Pokémon: Black & White chegou às bancas brasileiras no começo do mês – oficialmente no último dia 15 – e novamente corri para as bancas para achar minha querida edição. Mesmo com uma leitura um pouco atrapalhada por umas páginas com a impressão meio borrada, eu posso dizer que adorei demais este segundo volume. Como diz Satoshi Yamamoto, o responsável pela arte de Pokémon Special, em seu breve editorial, é aqui que a história realmente começa: temos a introdução de novos personagens-chave desta fase, a apresentação da Equipe Plasma e sua premissa de liberação dos Pokémon, o reencontro de Black, Cheren e Bianca e a primeira batalha de Ginásio em Unova entre outras coisas! São diversos acontecimentos dos jogos muitíssimos bem retratados e que tornam os sete capítulos que compõem esta coletânea bastante movimentados e interessantes, especialmente com as chegadas de White e N, dois personagens que certamente agitam bastante as coisas!
XY047/ Episódio 851 – Serena Pega Seu Primeiro Pokémon!? Pancham VS Fennekin!!


Quem é essa menina? Quem é essa estranha estranhamente familiar? De onde ela veio com toda essa atitude e determinação? De que cartola mágica saiu com tanto charme e carisma? Quem é essa que se arrisca, que se interessa por Pokémon, que se lança contra um Pokémon para proteger um dos seus com seu próprio corpo? Qual é o nome dessa garota tão cheia de coragem? É fácil se perder em meio a tantas facetas de Serena expostas aqui. Verdade seja dita, metade dessas características nem são novas, mas haviam sido subjugadas por roteiros que só diminuíram a personagem ao longo das semanas. Mas isso acabou! Finalmente Serena foi tirada do escanteio, das risadinhas tímidas ao fundo e de sua irritante passividade. A mão que antes ficava tão presa ao corpo agora é estendida em direção ao sol. A protagonista mais problemática que Pokémon vinha tendo parece ter finalmente saído do casulo em que fora enfiada desde que se juntou ao grupo de Ash, Bonnie e Clemont! Esqueçam o episódio chatinho dos Rhyhorn, aquele sem graça do PokéVisão e aquele horroroso da competição de PokéPuff. Finalmente as sementes lançadas ao solo no Acampamento de Verão podem ser colhidas e Yokiyoshi Ohashi nos entrega aquele que é, com toda certeza, o melhor episódio estrelando Serena até aqui!

XY045/ Episódio 849 – Clemont VS Bonnie!? Uma Batalha de Irmãos com Meowstic!!
&
XY046/ Episódio 850 – O Wigglytuff Atrapalhado VS o Salamence Descontrolado!!

Sejamos francos: metade de vocês não quer ler charithoughts sobre esses dois episódios bastante desinteressantes de Pokémon XY. Tem capturas vindo aí, evoluções, Tripokalon e você talvez queira saber o que eu acho de todas essas coisas, mas porque eu sei que existe uma parcela de vocês que tem interesse em saber o que eu achei de capa episódio e porque pessoalmente eu possuo algum TOC que não me permitiria simplesmente pular dois episódios do que pode vir a ser a cobertura de uma série inteira, aqui estou passando por esses dois episódios. Um deles me deixou tão interessado que eu levantei no meio e fui ler um encadernado do Batman que eu ganhava mais. Já o outro deu pra curtir um pouco mais, mas não foi muito melhor.
“Bom, quando decidi fazer este blog a minha ideia original nunca foi criar um espaço para ficar dando opinião sobre isso ou aquilo, mas apenas postar minhas matérias focando em fatos e eventos – embora eu dê sim minha pitada de opinião aqui e ali, mas nunca como parte essencial do que escrevo.” 
Dá pra acreditar que há quase um ano e meio essa era a minha postura oficial em relação a este blog? Os meus dizeres na introdução de Best Wishes!, Eu Odeio Você! – Parte 1 acabaram sendo totalmente invertidos com o tempo e hoje, dar minha opinião é de longe minha tarefa mais comum neste blog. E se vocês curtiram tanto o ódio, quem ganhou este ano foi o amor! Atendendo a pedidos, hoje é dia de falar sobre minha paixão por Diamond & Pearl, a minha série preferida do anime dos monstros de bolso! Então comecemos porque há muito território a cobrir.
DIAMOND & PEARL, EU ADORO VOCÊ!

Por que eu adoro Pokémon – Diamond & Pearl?

Essa é uma pergunta à qual venho tentando responder mentalmente desde que propus este tópico e várias razões vinham à minha cabeça. Afinal de contas, existem tantas coisas para se amar em Diamond & Pearl! A relação tão bacana entre o trio de protagonistas, especialmente Ash e Dawn, o time do Ash, com destaque para Chimchar e sua trajetória, os episódios com animação caprichada e estilizada entre vários outros experimentos realizados nesse sentido, as batalhas cheias de estratégia que também tinham um grande propósito para a trama principal, a introdução de personagens inesquecíveis como Paul, Cynthia, Barry e Looker, os diversos eventos criados para manter o interesse dos fãs, a Equipe Galáctica e a Caçadora J sendo os melhores vilões já criados para o anime, os desfechos emocionantes de todas as tramas principais. E, mais que tudo isso, o senso de continuidade. Pela primeira vez na história de Pokémon, os roteiristas pareciam ter memória e isso dava uma sensação de que cada episódio contava de forma especial, cada evento podia ser importante e o menor dos detalhes podia ser crucial para uma determinada situação. Porém, para falar disso é preciso retornar um pouquinho na história do anime.
Tabela de Batalhas - Os Pokémon de Ash 2.0



Com o terceiro Ginásio da região de Kalos, era hora de atualizar a Tabela de Batalhas com os Pokémon de Ash e ver o quanto o time de Kalos progrediu nesse meio tempo. Mas antes, recomendo uma ida ao Guia de Batalhas de Kalos, que inclui os resultados dos mais recentes embates de Pikachu e Froakie, a inclusão de Hawlucha e a evolução de Fletchling para Fletchinder! É só clicar aqui e depois voltar pra cá.

Agora, hora de conferir: afinal, o que mudou na nossa tabela?
XY044/ Episódio 848 – Luta no Ginásio Shalour! Pikachu VS Mega Lucario!!

No episódio passado Clemont disse a Ash “Todo mundo tem coisas em que são bons e coisas em que não são”, referindo-se à falta de jeito do menino da Cidade de Pallet para a dança, parte crucial de sua nova estratégia. No mundo de Pokémon, em que a lição geralmente é de que você consegue qualquer coisa se persistir – exceto vencer uma Liga, claro – tal frase pode soar bastante pessimista por parte do jovem inventor, especialmente se considerar que desde o episódio passado ele já apresentava bastante ceticismo em relação à vitória de Ash. Entretanto, a fala de Clemont carrega uma verdade. Afinal de contas, ainda que seja extremamente importante nos desafiarmos e testarmos nossos limites, inclusive tentando coisas que normalmente não arriscaríamos tentar, reconhecer nossas próprias limitações é igualmente importantes para que possamos focar nos nossos reais talentos. E é basicamente esse o tema deste terceiro desafio de Ginásio de Ash e o que o destaca de todos os desafios anteriores do garoto de Pallet até aqui.

XY043/ Episódio 847 – A Torre da Maestria! A História da Mega Evolução!!

Ash, Clemont, Bonnie e Serena finalmente chegam à Cidade de Shalour! Entretanto, há pouco espaço para a cidade aqui e mais para a preparação de Ash para sua batalha. Uma coisa que Pocket Monsters XY tem me feito enxergar é o quão pouco interessantes são as cidades dos Ginásios nos jogos. Tanto Cyllage quanto Santalune tiveram pouco ou nenhum foco nas localidades das batalhas contra Viola e Grant e mais nos confrontos mesmo. De fato, não havia nada muito interessante dos games para se explorar além dos Ginásios mesmo. Entretanto, com Shalour havia uma diferença: a cidade é a localização da Torre da Maestria, uma das construções mais belas e importantes dos jogos Pokémon X & Y, então em vez de nos darem logo a batalha, os roteiristas optaram por fazer um episódio com foco na tal torre e também no treinamento de ritmo de Ash.

XY042/ Episódio 846 – Batalha de Equipes! Competindo pelo Hall da Fama!!

Depois de uma (longa e necessária pausa) de Pocket Monsters XY, finalmente assisti ao capítulo que encerra o arco do Acampamento de Verão! Não deve ser surpresa pra ninguém que esse arco me deixou um pouco decepcionado e minha empolgação para ver este quarto episódio era bem pequena – especialmente porque desde a sua divulgação eu sabia de algo que não me deixava nada feliz: haviam decidido colocar Pikachu no lugar de Froakie no que podia ter sido uma luta final entre iniciais de Kalos contra iniciais de Kanto. Foi uma semana bem proveitosa para começar ver a lindíssima reta final de Sakura Card Captor – sério, se vocês nunca assistiram a esse anime, saiam daqui agora e vão ver porque vale muito a pena! Mas enfim, hoje eu decidi retomar meu anime do coração e foi um feliz alívio ao encontrar neste “Batalha de Equipes! Competindo pelo Hall da Fama!!” mais motivos para amá-lo do que para odiá-lo.
Tabela de Batalhas - Os Pokémon de Misty

Há uns meses atrás, graças ao leitor e colaborador Raco, pude trazer a tabela com a média de vitórias dos Pokémon de Ash, atendendo a muitos pedidos. A tabela fez sucesso (é a sexta postagem mais vista do blog, atualmente), então decidimos fazer dos demais Treinadores também. Hoje é a vez dos Pokémon de Misty.
Vale lembrar que o cálculo é feito da seguinte forma: 
- Somente as batalhas com vitórias, derrotas e empates foram consideradas, excluindo-se assim as de treinamento, as que o Pokémon foi chamado de volta, etc;
- Soma-se essas batalhas para conseguir o total (por exemplo, Snorlax teve 18 vitórias e apenas 3 derrotas, um total de 21 batalhas contabilizadas). Depois, divide-se o número de vitórias pelo total (18 ÷ 21) e depois multiplica-se por 100 para obter a porcentagem (0,857... x 100 = 85,71).
O Guia de Batalhas de Misty completo pode ser acessado clicando aqui. E para ver a tabela, basta clicar em Leia mais!
XY040/ Episódio 844 – Serena VS Shauna! O Confronto de PokéVisão!!

Sabe quando é noite e você está sozinho à beira do mar, sentindo a brisa fresquinha soprar sobre você e o som das ondas ao longe? Ou às vezes você até tem companhia, alguém especial para segurar sua mão ou te abraçar, mas não há uma troca de palavras sequer. Tudo o que importa é o silêncio do momento? Esse é um dos tipos de cenários pelos quais eu sou profundamente apaixonado e foi como o episódio anterior terminou. Depois de ter escrito o charithought anterior, eu fiquei com aquilo na cabeça por um tempo. Foi uma cena tão bonita, tão bem animada, tão bem dirigida, com aquela musiquinha linda de Vaniville, à qual eu dei pouca atenção, confesso. E era uma cena extremamente necessária para Serena. A garota está finalmente em sua jornada para encontrar sua luz própria e começar isso com uma autorreflexão longe de seus amigos, mas apenas acompanhada de seu Pokémon, ouvindo sua própria voz é definitivamente um primeiro passo.

No último dia 25 de agosto foi oficialmente lançado no Brasil o mangá Pokémon: Black & White pela Panini Comics. Como eu sempre quis expandir meus horizontes no blog para assuntos além do anime, como os jogos e o mangá, eu não pude resistir à tentação de escrever uma série de charithoughts cobrindo a trama do arco Black & White desta que é a maior publicação envolvendo os monstros de bolso já lançada no mundo todo.
Então, boa leitura e espero que gostem ^^
P.S.: Eu editei o texto com esta breve introdução e mais três considerações finais que eu havia esquecido quando postei o texto (esta mto tarde e eu com mto sono).

Pokémon: Black & White #1

A introdução que você pode pular
Pokémon Special sempre foi um sonho. Publicado no Japão desde 1997, com roteiro de Hidenori Kusaka e arte de Mato (até o Volume 9) e Satoshi Yamamoto (a partir do Volume 10), o mangá é o maior título baseado na franquia dos monstros de bolso já lançado, possuindo mais de 500 capítulos divididos em mais de 50 volumes e gozando de uma grande popularidade entre fãs tanto do oriente quanto do ocidente! Meu primeiro interesse em Pokémon Special surgiu quando a Conrad Editora anunciou no começo dos anos 2000 que traria Pokémon Adventures (a versão americana do mangá) para o país. Infelizmente, a promessa da Conrad nunca foi pra frente e nenhuma outra editora tocou no assunto por anos - a própria Viz Media, que lança os mangás nos EUA, parou em 2003 ao final da saga Yellow e só retornaria em 2009). Ao longo desses anos, grupos de fãs dedicados se juntaram e formaram projetos como a PSBR para traduzir a obra para outros aficionados em Pokémon interessados no mangá e foi assim que eu tive meu primeiro contato com a obra de Kusaka, mas leitura online nunca foi o meu forte.
Dando uma pausa com charithoughts e guias de batalho, começo mais uma mês trazendo mais um capítulo do meu filho mais velho: A Longa Trajetória de Pokémon no Brasil. Desta vez, abordando a maneira complicada como as temporadas referentes a esta saga foram exibidas por aqui. Pra checar as duas partes anteriores, basta clicar aqui e aqui ^^
Boa leitura

A Longa Trajetória deno Brasil
ANIME – A LIGA JOHTO
(Parte 3)
EXIBIÇÃO NO BRASIL 

A Liga Johto teve uma exibição bem difícil e um tanto desorganizada no Brasil, principalmente no que se diz respeito à tevê aberta. Todas as temporadas da Liga Johto, depois de serem trazidas e adaptadas para o ocidente pela 4Kids, foram negociadas com as distribuidoras menores conforme o costume. A Televix ficou mais uma vez responsável pela distribuição por toda a América Latina e a Swen por contratar o estúdio de dublagem e licenciar os episódios da série para a tevê aberta, já que a Televix negociava os episódios da série com a tevê paga – isso porque boa parte delas possui sede em outros países. A terceira temporada (que mostra o final da Liga Laranja e o começo da Liga Johto) foi negociada com o Cartoon Network e com a Rede Record. Como nesse meio-tempo, o CN já tinha alcançado a Record na exibição do anime, a emissora se adiantou na estreia da terceira temporada e lançou os novos episódios em 1° de janeiro de 2001 depois de uma maratona com todos os 104 capítulos da série exibidos no Brasil até então. O problema é que essa estreia ocorreu sem que todos os 52 episódios estivessem dublados!
XY039/ Episódio 843 – Acampamento de Verão Pokémon! O Trio Rival Aparece!!

Durante a série Diamond & Pearl, os roteiristas do anime desenvolveram a Academia de Verão Pokémon, na qual Ash, Dawn e Brock se juntaram a outros Treinadores, a convite do Prof. Rowan, para realizar diversas tarefas competindo numa espécie de gincana de grupos. Situada alguns episódios após a badalada Copa Wallace – o grande evento do segundo ano de DP –, tratava-se de mais um dos vários arcos desenvolvidos para tornar a longa jornada de Ash por Sinnoh o menos entediante o possível. Estendendo-se ao longo de quatro episódios, a Academia de Verão Pokémon colocou nossos heróis fora do seu lugar-comum de forma bem bacana: pudemos vislumbrar como seria Ash, Dawn e Jessie treinando um Raichu, um Grimer e uma Smoochum, respectivamente, (e desejamos do fundo dos nossos corações que Grimer e Smoochum entrassem para os times regulares das moças), vimos os Treinadores envolvidos numa sinistra trama com uma garota fantasma que quase sugou todo mundo para o mundo espiritual e ainda encerramos com uma divertida competição de triátlon – que eu sonhava que pudesse servir como uma inspiração para as Corridas Pokémon.

XY038/ Episódio 842 – O Trevenant da Floresta Serpeante!

Sudowoodo, o Pokémon Imitação, é uma criatura tipo Pedra que engana muita gente usando sua forte semelhança com uma árvore para se disfarçar. Logo, é no mínimo apropriado que ele esteja presente num episódio tão rodeado de enganações como este aqui. A prévia mostrada ao final de “Caverna dos Reflexos! Ash e o Ash do Outro Lado do Espelho?!”, sem BGMs, sem a típica voz do Ash, acompanhada apenas de uma narração de Clemont no melhor estilo radionovela de suspense que os japas tanto adoram, dava a impressão de que este seria um episódio sombrio, como aquele excelente estrelado por Espurr. Afinal de contas, a prévia para aquele capítulo também havia sido apresentada com todas essas características. Some a isso o fato de que se Espurr dá arrepios só no olhar, Trevenant não fica muito atrás e as Pokédexes de Pokémon X & Y o descrevem como um ser capaz de controlar as árvores conforme sua vontade e de prender para sempre aqueles que prejudicam a floresta. Além disso, a tela de título do episódio é apresentada com o rosto de Clemont, dando a ideia de que nosso inventor favorito ganharia destaque – algo que não acontece há quase dez episódios e a prévia até ajudava a reforçar isso com a narração do menino.
Guia de Batalhas
Eu tinha decidido que ia atualizar o Guia de Batalhas do Brock antes de escrever o próximo charithought. De fato, eu me empolguei tanto que além de fazer a atualização decidi ainda postar o primeiro Guia abrangendo dois personagens! Desta vez temos meu segundo rival favorito: o charmoso Drew. Não tem como não amar esse estilo meio Tuxedo Mask dele qualé! E esse Absol maravilhoso? Além disso, ele tbm protagonizou algumas das melhores batalhas da fase Advanced Generation. Sdds Drew. E na sequência, Tracey. O único protagonista pré-XY que ainda não havia recebido um Guia aqui - mais por falta de amor dos roteiristas por ele do que de minha parte, que sempre nutri um carinho por ele, apesar de tudo. Enfim, infelizmente não vemos ambos há um booooooom tempo e a situação não promete mudar logo. Eu provavelmente devo manter esse esquema de Guia duplo para os próximos personagens que não exigirem muito espaço, então aproveitem bem o Guia de Drew & Tracey, clique aqui para acessar o Guia de Brock atualizado e eu achei um gif para o Azurill para colocar no Guia da Misty *--* O novo charithought deve demorar beeeem menos que o anterior, prometo =DD
 
Os Pokémon de Drew

XY037/ Episódio 841 – Caverna dos Reflexos! Ash e o Ash do Outro Lado Espelho!?

Não é de hoje que o reflexo do homem fascina o próprio homem. Desde o afogamento de Narciso pela paixão à própria imagem até o dia em que Alice decidiu ver o que havia através do espelho, esses objetos marcam presença constante em obras de ficção. Seja para revelar a verdadeira identidade de monstros ou verdades sombrias sobre alguém, refletir os mais íntimos desejos de uma pessoa ou até mesmo como portal para um outro mundo, esses curiosos objetos habitam diversas obras relacionadas a mundos fantásticos, de norte a sul, oriente e ocidente. É então até surpreendente pensar que Pokémon, uma série na qual tudo é possível, tenha demorado cinco gerações para botar seu primeiro espelho mágico em ação: o Espelho Revelador (Reveal Glass). Estreando nos jogos Pokémon Black 2 & White 2, o objeto mostra as verdadeiras formas das Forças da Natureza (Thundurus, Tornadus e Landorus) de Unova. O tal item retorna nos jogos Pokémon X & Y, sendo entregue ao jogador na Caverna dos Reflexos (Reflection Cave) – e que lugar melhor que uma caverna cheia de espelhos naturais para se ganhar um espelho mágico?
XY036/ Episódio 840 – Um Combate Aéreo!? Hawlucha VS Talonflame!!

Houve uma época na minha vida que hora nenhuma era tão antecipada quanto as 11h30. O momento em que eu saía da escola e corria para casa pra ver o episódio novo de Pokémon na Eliana era preciosíssimo e exigia uma correria apressada e pontual, que não permitia obstáculos. Chegar em casa, ligar a tevê, jogar a mochila no chão e sentar no sofá era ritual sagrado que não se violava. Foi assim durante dois anos. Eu geralmente perdia o comecinho, mas não me importava. Era Pokémon e minha diversão estava garantida. Mais de 13 anos me separam do meu presente dessa época e a antecipação e o desespero pelo episódio novo, não mais do dia, mas da semana, é mais contida. Os meus gostos mudaram, ficaram mais apurados. Eu me tornei mais exigente. Entretanto, é uma alegria imensa quando eu encontro dentro de mim aquela criança entusiasmada. Os olhinhos brilham, um sorriso molda os lábios, uma inquietação enche o corpo e, vez ou outra, uma lagriminha brota no olho. É quando eu entendo perfeitamente porque mais de 13 anos não foram capazes de me afastar (e tantos outros) fãs de seu hobby infantil.

XY035/ Episódio 839 – O Campeão da Floresta! Hawlucha Aparece!!

Pokémon XY tem um ritmo interessante. A série começou parecendo meio apressada com o primeiro Ginásio sendo derrotado no sexto episódio, similar a séries curtas como a original e Best Wishes! Porém já fazem mais de 30 capítulos desde que Ash lançou sua Pokébola para pegar um Pokémon e ele ainda tem somente três membros em seu time – o maior tempo que o Treinador de Pallet levou para ter um quarto monstro em sua equipe desde Advanced Generation, com Corphish sendo pego no AG023. Tal situação também destoa bastante de sua predecessora Best Wishes! A essa altura nessa série, o garoto já havia pegado oito Pokémon e evoluído dois! O que é intrigante para mim é que por mais que XY tenha demorado mais em comparação às suas predecessoras nesse sentido, eu tenho a sensação que ainda nem aproveitamos direito Froakie e Fletchling. O anime tem investido pesado em Pikachu outra vez; uma decisão que se eu não aprovo completamente por querer ver mais dos outros dois, especialmente da ave, também não posso reclamar já que tem rendido momentos ótimos para esta jornada de Kalos. Mas aqui estamos nós no 35º episódio de XY e chegou a hora da família crescer!
Eu sei que eu tenho meu fiel nicho de leitores que não ligam mto para os charithoughts, mas querem ver mais do meu conteúdo mais "clássico" aparecendo por aqui. Infelizmente, elas acabam surgindo com uma frequência bem menor. À fim de fechar o mês de julho com pelo menos 4 postagens significativas, decidi liberar a segunda parte da Liga Johto - algo que eu queria fazer somente depois que terminasse de reassistir 100% os episódios desta saga, o que ainda não aconteceu. Entretanto, com quase dois meses devendo este texto e com a crença de que pouca diferença lhe faria terminar meu rewatch, estou liberando ele hoje pra vocês, que também podem relembrar a jornada pela região de Kanto, também pelas Ilhas Laranja e ler a primeira parte da matéria de Johto clicando aqui. Eu também estou trabalhando em atualizações para outras partes do blog e só devo trabalhar no próximo charithought neste fim de semana. Abraços o/
A Longa Trajetória deno Brasil
ANIME – A LIGA JOHTO
(Parte 2)


DUBLAGEM


A Liga Johto teve início por aqui na terceira temporada, que foi entregue aos estúdios da Parisi Vídeo para dublagem. O trabalho realizado sob a direção de José Parisi Jr. agradou tanto a distribuidora que o estúdio ficou encarregado também das três temporadas seguintes, tornando-se o primeiro a dublar todos os episódios de uma mesma saga do anime no Brasil - fato ainda mais impressionante se considerar que é uma das maiores até hoje! Com isso, o trabalho da Parisi Vídeo com Pokémon seguiu por quatro temporadas seguidas, o que garantiu à série certa estabilidade. O estúdio, por exemplo, conseguiu manter grande parte dos dubladores de coadjuvantes e personagens recorrentes, raramente realizando mudanças. Além disso, a qualidade do áudio do estúdio era bastante decente e as músicas de abertura ganharam versões brasileiras muito boas. Entretanto, a parte mais negligenciada durante a fase de Pokémon na Parisi foi a tradução. Apesar de a qualidade até boa do trabalho realizado durante a terceira e a quarta temporadas, a partir do final desta ela declina de forma drástica e o trabalho ruim se estende até toda a quinta e sexta temporadas praticamente. 


XY034/ Episódio 837 – Mega Lucario VS Mega Mawile! O Vínculo da Mega Evolução!!

Flores. Estes pequenos e singelos elementos da natureza foram há muito apropriados pelos homens como símbolos de beleza e amor. Presentes em músicas, poesias e pinturas, elas tem andado de mãos dadas com a arte. O seu desabrochar tornou-se metáfora para transformações pelas quais os homens passam. Flores pontuam o começo de romances, estão presentes em casamentos e até na hora do adeus definitivo, elas estão lá para se despedir. Com tamanha importância e tanto significado, nada mais apropriado que flores se façam presente de maneira tão intensa neste que eu considero o episódio tecnicamente mais belo que a equipe de animadores de Pokémon nos entregou até hoje, sob a direção de Masaaki Iwane.

XY033/ Episódio 837 – Corações Que Chamam Um ao Outro! Vá Além da Aura!!


Às vezes você não precisa assistir a um episódio inteiro pra saber que há algo de muito errado nele e foi assim que eu me senti com este 33º (como se fala esse numeral?) episódio de XY. O problema aqui, porém, não é ele em si, verdade, mas uma má escolha feita cinco episódios atrás, quando Diantha usou seu “vínculo especial” com Gardevoir para sentir sua presença e localizá-lo através de um sexto sentido inventado lá, quando o Pokémon foi levado pela Equipe Rocket. Eu não havia gostado da ideia na época e menos ainda quando ela foi repetida dois capítulos depois com Korrina e seu Lucario. E então, como que para confirmar o quão sem sentido toda aquela história havia sido, ao final do excelente episódio anterior eu descubro que este teria como premissa uma nova e aparentemente mais longa separação entre a Líder de Ginásio e seu Pokémon. No mesmo momento eu pensei: “E o tal sexto sentido mágico dos vínculos especiais?”. Eu até cheguei a cogitar que eles dariam alguma razão para a omissão, mas aparentemente para você sentir seu Pokémon que pode megaevoluir de longe, ele precisa ser roubado pela Equipe Rocket.
XY032/ Episódio 836 – Mega Lucario VS Mega Lucario! Uma Tormenta de Aura!!


“10 MIL ANOS!!!!”
Caro leitor, foram “apenas” três semanas, mas a frase do Gênio em Aladdin na voz brasileira marcante de Márcio Simões resume como o meu relógio psicológico contou todo esse tempo. Quando você está num ritmo ótimo de uma média de seis postagens por mês, é torturante chegar à metade de julho sem conseguir escrever nada. Nesse conturbado período, eu até cheguei a rever este XY032 e, mais de uma vez, comecei a escrever a análise, mas nada saía. Pra ser honesto, eu me sinto tão enferrujado que eu acho que uma pequena recapitulação e um pouco de vossa paciência são necessários para me colocar de volta aos trilhos aos poucos: nos episódios anteriores, Ash e seus amigos conheceram Korrina, a Líder do Ginásio da Cidade de Shalour, e decidiram acompanhá-la em sua jornada para megaevoluir seu Lucario. Após enfrentar o Blaziken de seu avô na Caverna das Provações e provar seu valor, a garota finalmente obtém uma Lucarionite e finalmente pode transformar seu Pokémon num Mega Lucario!

Galera, o blog está parado esses dias porque estou bastante ocupado com o final de semestre na minha escola. Existem mtos exercícios e provas pra corrigir, muitas pautas pra preencher e eu tenho estado muito cansado. Eu até reassisti ao episódio sobre o qual eu tenho que escrever, sentei, comecei e tal, maas... eu tbm não estou na minha melhor semana. Então, eu espero terminar tudo esta semana e conseguir voltar, até o próximo fim de semana no máximo, a escrever pro blog. Existem charithoughts pra escrever, guia de batalhas para atualizar e trajetórias para escrever e eu espero MUITO poder compensar, mas não posso garantir nada. No mais, abraços a todos e até breve o//


XY031/ Episódio 835 – Lucario VS Blaziken! A Caverna das Provações!!


Uma das razões pelas quais eu considero Pocket Monsters – Diamond & Pearl a melhor série de Pokémon é o fato de a saga em Sinnoh possuir várias subtramas contadas em arcos de episódios. Não era algo totalmente inédito na série – a saga da Liga de Índigo já trazia os episódios triplos do St. Anne e de Sabrina, por exemplo –, mas extremamente raro. Os roteiristas estavam acomodados aos Treinadores do dia, os Pokémon do dia, os problemas do dia, etc. Investir nessas histórias que se desenrolam ao longo de múltiplos episódios foi ótimo porque deu à série um senso de continuidade maior. Além disso, era ótimo ter algo a mais pelo que esperar do próximo episódio além de uma nova captura ou Batalha de Ginásio ou Torneio Pokémon. Eu queria mesmo saber como Dawn devolveria Pikachu a Ash, ou como era o Castelo Âmbar da Vespiquen, ou o qual era o lance de Chimchar e Paul na Batalha em Dupla de Hearthome. Nunca antes havíamos tido uma competição que não fosse Liga Pokémon ou Grande Festival tomando a liberdade e o tempo para se desenvolver por cinco ou mais episódios até a Copa Wallace – o Torneio dos Redemoinhos em si dura três e antes disso é só os Treinadores viajando até lá.
XY029/ Episódio 833 – Korrina e Lucario! Os Segredos da Mega Evolução!!


A franquia Pokémon vive uma dicotomia de regras e exceções: as regras referindo-se àqueles elementos que são frequentes e a série nunca abandona e as exceções sendo aqueles que se destacam por se diferenciarem do que já é comum, e embora sejam amados e todos quisessem que virassem regras, acabam sendo abandonados no momento seguinte. Pokémon Black & White Versions e Pokémon Black & White Versions 2 foram pioneiras (ainda que B2W2 em menor intensidade) no sentido de tirarem os Líderes de Ginásio das suas clausuras de quatro paredes e torná-los personagens realmente relevantes para o desenrolar da trama. Infelizmente, quando Pokémon X & Y finalmente foram lançados, tal pioneirismo foi descoberto ser uma mera exceção daquela Geração – assim como as estações do ano. Os Líderes voltaram à sua função básica de distribuir Insígnias e até então tem cabido ao anime dar a eles personalidade, importância e carisma. Houve, porém, uma exceção louvável: Korrina.


XY028/ Episódio 832 – Ta-da! Um Falso Ash Aparece!!


Quando se é um fã de Pokémon há 15 anos como eu, você acaba meio que se acostumando ao fato de que o anime nunca vai de encontro às suas expectativas. Não adianta. Mesmo Diamond & Pearl, que foi minha série favorita, me decepcionou em vários pontos, mas aí eu me pergunto: por que eu (que sou muito chato com as coisas, reconheço) insisto em ter expectativas? Porque existem episódios como “Ta-da! Um Falso Ash Aparece!!”. Apesar de o título ter o nome do Ash e fazer alusão à forma como Jessie imita Serena, os grandes astros aqui são, surpreendentemente, Clemont e a Equipe Rocket personagens para os quais um momento como este era mais que necessário! Se você tem um trio de vilões que utiliza mechas na grande maioria de seus ataques e um novo personagem cuja especialidade, por acaso, é criar mechas; juntá-los é preciso. A necessidade de um episódio para esses personagens é ainda maior se você considerar que o jovem inventor, que é o meu personagem favorito da nova série, andava bastante apagado nessa terceira dezena de capítulos e os bandidos têm oscilado entre momentos de grande relevância e momentos de pura chatice. Além disso, o retorno de sua missão primária de pegar o Pikachu tem feito com que os roteiristas usem-nos de forma nada inspirada para preencher minutos de episódios.

XY027/ Episódio 831 – A Campeã Diantha Aparece! Mega Gardevoir na Neblina!!


Enquanto o anime sempre soube exatamente o que fazer com os oito Líderes de Ginásio de cada região, a Elite dos 4 e o Campeão da Liga nunca tiveram a mesma sorte. Foram necessários oito anos para que todos os membros da Elite dos 4 de Red & Green aparecessem, e até hoje a série animada nos deve mostrar os membros das Ligas de Gold & Silver, Ruby & Sapphire e Black & White. Quanto aos Campeões: Ash e Gary, as contrapartes de Red e Blue, nunca venceram uma Liga sequer, Lance fez duas grandes aparições, primeiro em Johto e depois em Hoenn, agindo mais como uma espécie de policial do que Campeão, Steven deu as caras num único episódio pra nunca mais e nem sequer teve seu status mencionado. Por outro lado, seu substituto em Emerald, Wallace, fez sua estreia em Sinnoh, sendo bastante importante, só que como um Top Coordenador que havia deixado sua posição de Campeão. Alder não foi realmente levado a sério em Unova e Íris nem sequer estava pronta para ser uma Líder de Ginásio ainda.


Bom, algumas coisas demoram, mas finalmente chegam! Você já viajaram comigo no tempo e relembraram a jornada pela região de Kanto e também pelas Ilhas Laranja, agora apertem os cintos porque estamos prestes a percorrer a maior trajetória até aqui!

A Longa Trajetória deno Brasil
ANIME – A LIGA JOHTO
(Parte 1)


INTRODUÇÃO
Em 21 de novembro de 1999, os jogos Pokémon Gold Version (Pocket Monsters Gold Version) e Pokémon Silver Version (Pocket Monsters Silver Version) chegaram às lojas japonesas! O primeiro passo que a Nintendo dava em direção a uma eterna renovação periódica da franquia, os jogos muito aguardados vinham acompanhados de uma infinidade de produtos estrelando Pikachu e a nova centena de monstros de bolso para lotar as prateleiras das lojas japonesas! Isso serviu para dar um novo gás à marca. Em Gold & Silver, os jogadores puderam explorar a região de Johto numa experiência de jogo ampliada e muito melhorada em relação aos originais Red & Green e, de quebra, ainda descobrir o nome da região anterior: Kanto! Com a chegada dos novos títulos da franquia e de todas as novidades que os acompanhavam, esperava-se que o anime também sofresse uma renovação, afinal a Liga Laranja deu um caldo bom, mas os fãs ainda sentiam falta de algo. A grande expectativa era de que as aventuras de Ash Ketchum tomassem novo vigor em sua nova jornada.